Espaço de interacção e de registo dos percursos efectuados na UC de avaliação de produtos multimédia educativos no ano lectivo de 2009/2010.
pesquisar neste blog
posts recentes

Síntese da sessão do dia 18 de Setembro

Análise Reflexiva - Grupo 1

Avaliação de Recursos Educativos Digitais para Quadros Interactivos - Grupo 1

1º Ensaio (individual) na Avaliação de Recursos para Quadros Interactivos

Avaliação de Recursos Educativos Digitais para Quadros Interactivos - grupo 2

Mapa Conceptual actualizado

Síntese da sessão do dia 7 de Julho

Síntese da sessão do dia 25 de Junho

Síntese da sessão do dia 18 de Junho

Grelha para avaliação de recursos para QI

arquivos

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

tags

todas as tags

participar

participe neste blog

Segunda-feira, 26 de Abril de 2010
Objectivo - as técnicas e instrumentos a utilizar na recolha de dados

 




No que se refere a métodos para a avaliação de Software Educativo, Silva (2000) apresenta os seguintes, segundo Begoña e Spector (1994):


·         Avaliação orientada para o produto


·         Avaliação orientada para o usuário


·         Avaliação orientada para o contexto


·         Avaliação analítica


·         Avaliação por peritos


·         Avaliação observacional


·         Avaliação por inspecção


·         Avaliação experimental




Por sua vez, Batista, Barcelos, Rapkiewicz e Hora referem que para avaliar um produto de um software devemos analisar diversas características como as características na série de normas NBR ISO/IEC 9126 [ABNT 2003].  “As normas ISSO constituem um modelo de qualidade de software genérico, sem levar em consideração as especificidades do sector de aplicação do software a ser avaliado” (Batista, Barcelos, Rapkiewicz e Hora 2004).


Mais à frente apresentam as seguintes metodologias de Avaliação de Softwares educacionais:


Gamez (1998) – Técnica de Inspecção de Conformidade Ergonômica de Software Educacional (TICESE). Baseia-se na orientação do avaliador na realização de inspecção de conformidade ergonômica dos softwares. Recorre a um “formulário de inspecção” que consiste numa checklist.


Gladcheff (2001) – Questionário para avaliar o ensino da Matemática no Ensino Fundamental (considerando aspectos técnicos, aspectos relacionados com a educação em termos gerais e aspectos específicos da Matemática). Sugere também a elaboração de um relatório final da avaliação.


Oliveira (2001) – Checklist. Tratamento quantitativo de dados, tendo em conta aspectos técnicos e pedagógicos.


Batista (2004) – SoftMat, adaptada de Gladcheff (2001) e Gamez (1998). É composta por uma checklist disposta em cinco blocos que consideram as normas técnicas da ISO. Tratamento quantitativo de dados.


Nos seguintes links podemos observar algumas ajudas que encontrei para percebermos um pouco melhor as norma ISO:


·         http://www.powerpoint-search-engine.com/normas-de-qualidade-iso-9126-ppt.html


·         http://php.cin.ufpe.br/~laps/laps/arquivo/arquivo_13.pdf





Referências:



Silva, C. M. T. (2002). Avaliação de Software Educacional. In: http://www.revistaconecta.com/conectados/christina_avaliacao.htm. Consultado em: 15 de Abril de 2010. 



Batista, S., Barcelos, G., Rapkiewicz, C., Hora, H. (2004). Avaliar é Preciso: o caso de softwares educacionais para Matemática no Ensino Médio. In: http://inf.unisul.br/~ines/workcomp/cd/pdfs/2378.pdf. Consultado em: 15 de Abril de 2010.


 


tags: , , , ,

publicado por catarinaoliveira às 00:22

2

De davidmonteiro a 8 de Maio de 2010 às 00:58
As características estabelecidas para se avaliar e descrever a qualidade de um produto de software genérico pela Norma ISO EC 9126 publicada em 1991, são:
- funcionalidade;
- usabilidade;
- confiabilidade;
- eficiência;
- manutenibilidade;
- portabilidade.

Funcionalidade- Evidencia que o conjunto de funções atende às necessidades explícitas e implícitas para a finalidade a que se destina o produto.
------------------------------------------------------------------------------
Usabilidade- Evidencia a facilidade de utilização do software.
------------------------------------------------------------------------------
Confiabilidade- Evidencia que o desempenho se mantém ao longo do tempo em condições estabelecidas.
------------------------------------------------------------------------------
Eficiência- Evidencia que os recursos e os tempos envolvidos são compatíveis com o nível de desempenho requerido para o produto.
------------------------------------------------------------------------------
Manutenibilidade- Evidencia que há facilidade para correções , atualizações e alterações.
------------------------------------------------------------------------------
Portabilidade- Evidencia que é possível utilizar o produto em diversas plataformas com pequeno esforço de adaptação.


De catarinaoliveira a 8 de Maio de 2010 às 18:58
Exactamente!
Foi mesmo por aí que nós nos guiámos. Vimos esses significados na tabela 1 do documento em pdf que disponibilizei aqui, intitulado como "Um Modelo para Avaliação de Produtos de Software" no link:

http://php.cin.ufpe.br/~laps/laps/arquivo/arquivo_13.pdf


Comentar post

mais sobre os autores deste blog ...
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


links
subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post